Exportação de vinhos brasileiros cresce 66,7% em valor no primeiro semestre

Incremento é ainda maior em volume, quase dobrando em relação ao mesmo período de 2018. Estados Unidos, China, Rússia e Paraguai estão entre os principais destinos

O setor vitivinícola brasileiro comemora os números das exportações de vinhos tranquilos e espumantes do primeiro semestre de 2019. Segundo dados do Comex Stat, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), de janeiro a junho, as vinícolas negociaram US$ 6.077.680,00, o que representa um crescimento de 66,75% em relação ao mesmo período do ano passado. Já em volume, foram exportados 3.119.109 litros, um acréscimo de 95,78%, se comparado ao ano anterior. Paraguai, Estados Unidos, China, Rússia e Colômbia compõem, nesta ordem, o ranking dos cinco principais destinos dos rótulos verde-amarelos em volume.

Levando-se em conta os últimos cinco anos, as estatísticas do Comex Stat mostram que a variação das exportações de vinhos tranquilos e espumantes de janeiro a junho de 2019 em relação ao mesmo período de 2015 foi de 370% em volume e de 120% em valor.

Com o objetivo de oferecer às empresas brasileiras a possibilidade de estreitar relacionamentos e ampliar os negócios no mercado externo, a Wine South America trará à Serra Gaúcha durante o período da feira, de 25 a 27 de setembro, 30 compradores internacionais, em parceria com o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), por meio do projeto setorial Wines of Brasil. A iniciativa tem apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

“Vamos focar em compradores de mercados-chave para o Brasil. Vamos trazer jornalistas de renome da América Latina, dos Estados Unidos e da Europa, além de compradores destes destinos e da Bélgica, Chile, China, Colômbia, Curaçao, Japão, Paraguai, Peru, Reino Unido, Rússia e Suriname” reforça o gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini.

Localizada no Vale Trentino, entre Caxias do Sul e Farroupilha, no Rio Grande do Sul, a Casa Perini já colhe os frutos do Projeto Comprador da primeira edição da Wine South America, em 2018. De acordo com a gerente de exportação da vinícola, Bárbara Ruppel, os contatos durante a feira possibilitaram o fechamento de negócios com um comprador do Canadá, mercado até então não explorado pela Casa Perini. “Para nós, a participação no Projeto Comprador foi muito válida. Agregou bastante”, salienta Bárbara.

A também gaúcha Cooperativa Vinícola Garibaldi, em Garibaldi,é outra que obteve bons resultados. Além do Canadá, a empresa comercializou seus rótulos para os Estados Unidos e está apta a exportar para o Peru e a Colômbia. “Esperamos fazer novos negócios na feira deste ano”, projeta a responsável pelo departamento de Exportação, Maria Inês Munari Balsan.

Bárbara e Maria Inês destacam o fato de o evento ser realizado na principal região produtora do país. Em 2018, além das rodadas de negócios no pavilhão da Fundaparque, os compradores também puderam visitar as vinícolas para conhecer a estrutura e processos de elaboração dos produtos. “A Wine South America está no mesmo patamar de excelência de outras feiras pelo mundo e está se tornando um polo de negócios na América Latina”, acredita Maria Inês.

A feira internacional do vinho deve reunir mais de 250 marcas do Brasil e do Exterior, incluindo os setores de destilados e olivicultura. A relação dos expositores já confirmados na Wine South America pode ser conferida no site oficial do evento, em www.winesa.com.br.

Exportação de vinhos tranquilos e espumantes / Janeiro a junho
Jan/Mai Volume (litros) Valor (US$) Preço médio por litro (US$)
2015 662.496 1.660.524,00 2,51
2016 835.515 2.213.043,00 2,65
2017 1.143.850 2.744.138,00 2,40
2018 1.593.137 3.644.741,00 2,29
2019 3.119.109 6.077.680,00 1,95
Total 7.354.107 16.340.126 2,36
Fonte: Comex Stat – Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC)

 

Fonte: Assessoria de imprensa da Wine South America

Foto: Arquivo Rádio Difusora