Estudantes e servidores protestam a favor da educação em Bento Gonçalves

Dando sequência a série de manifestações que ocorre em todo o Brasil na luta contra cortes e a favor da Educação, nesta quarta-feira, dia 15, alunos e servidores do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Bento, realizaram um ato de protesto na frente da instituição.

Com cartazes, faixas e gritos de ordem, municipários, professores e a comunidade acadêmica tanto do IFRS quanto da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), que se juntaram ao grupo, participaram do manifesto.

Ainda no começo da semana, na segunda-feira, dia 13, estudantes e colaboradores realizaram um abraço coletivo no prédio do IFRS Campus Bento.

Weintraub não fala em cortes e foca em alfabetização e ensino técnico

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse, no Plenário da Câmara, na tarde desta quarta-feira, dia 15, que uma das prioridades do governo é investir na alfabetização. “Vamos investir na alfabetização como uma ferramenta de superação de desigualdade. Se não alfabetizar bem a população, a gente vai continuar desigual, principalmente no ensino técnico e no ensino médio.”

Weintraub disse que os analfabetos totais já são raros, mas que a qualidade de alfabetização é “um desastre”. Por isso, ele afirmou que é necessário investir na primeira infância – creche e pré-escola. “Uma pessoa que não sabe interpretar, não consegue montar um produto sozinho, não consegue ler o manual de uma máquina para operá-la melhor, é uma pessoa que não consegue se virar na vida”, afirmou o ministro. Esse analfabetismo, segundo ele, impacta nos outros indicadores.

Ele falou sobre a necessidade de investimento em estudo integral. “O Brasil está indo para trás nos investimentos desse segmento”, criticou.

Ensino técnico
Weintraub disse ainda que o ensino técnico precisa ser valorizado no Brasil. Segundo ele, não faz sentido que as vagas sejam oferecidas apenas pelo setor público. O Chile, segundo ele, investiu na educação de base, no ensino técnico e hoje “é uma nação de engenheiros”.

De acordo com o ministro, há 500 mil vagas de empregos para tecnologia e não há pessoas para ocupar essas vagas. Weintraub disse que o Pronatec teve um resultado “muito ruim”. “Gastamos R$ 13 bilhões com o Pronatec, paramos de fazer e ninguém reclamou”, disse.

Para ele falta técnica, método, ciência e gestão. “Não discussões ideológicas na sala de aula”, acrescentou.

Bolsonaro diz que manifestantes são ‘idiotas úteis’

Em reportagem publicada pelo jornal O Globo, o presidente Jair Bolsonaro, que está em Dallas, nos EUA, falou sobre as manifestações contra aos cortes na educação. ‘Se você perguntar a fórmula da água, não sabe, não sabe nada. São uns idiotas úteis que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria’. Disse ainda que o desastre da educação brasileira vem de anos anteriores.

Aqui no Brasil, o presidente em exercício, Hamilton Mourão, admitiu que o governo falhou na comunicação sobre o bloqueio de recursos na área da educação. Ele acrescentou que as manifestações fazem parte da democracia.

Assista imagens do protesto:

Confira fotos do ato em Bento Gonçalves (Clique na imagem para ampliar):