Equipamentos culturais fomentam a arte e a cultura em diversos pontos de Bento

Com ordem de início assinada na quinta-feira, 13, o Centro Cultural Tuiuty é mais uma das ações da administração municipal de Bento Gonçalves para descentralização da cultura.

Nos últimos anos diversos espaços culturais foram entregues para comunidade. Entre eles a Praça CEU na Zona Norte, a Casa do Artesão e do Artista Plástico, Fundação Casa das Artes, Museu do Imigrante, Centro Cultural 20 de Novembro e as Casas de Artesanato (localizadas na Praça Dr. Bartholomeu Tacchini).

A Secretaria da Cultura divulga nesta sexta-feira, 14, um balanço das ações realizadas.

Obras do Subsolo da Fundação Casa das Artes

O Projeto Repensar para Crescer contempla obras que estão sendo realizadas no subsolo da Fundação Casa das Artes. As intervenções estão sendo realizadas pela empresa PRO 5 Engenharia, sendo o valor do contrato de R$ 286.218,57.  O cronograma de obras tem previsão de término em cinco meses.

O projeto está sendo executado com o financiamento da Lei de Incentivo a Cultura (LIC-RS) do Governo do Estado do RS. Patrocinam a obra três empresas do município: LNF, Cinex e Serra Inox.

A obra prevê a execução de espaços que visam ampliar a Casa das Artes e dar melhor atendimento aos artistas e comunidade em geral. Três espaços fazem parte do projeto: camarins para os artistas com banheiros e espaço de convivência, uma ampla sala multiuso que poderá receber atividades diversas, ensaios de grupos locais, exposições, palestras e pequenas apresentações, e ainda um depósito. A área total da obra é de 379,60 m².

Centro Cultural 20 de Novembro

Localizado à Rua Carlos Turconi, bairro Borgo, o espaço possui sala de convivência, reuniões, escritório e para oficinas culturais. A obra foi orçada no valor de R$ 243 mil e contou com Emenda Parlamentar do então deputado Federal Covatti Filho. Atualmente, quem assume a presidência da entidade é José de Deus Santiago, também conhecido como Salgadinho.

De acordo com o presidente “estávamos organizando várias programações para este ano no Centro Cultural, entre elas oficinas de capoeira, de dança, cursos de artesanato, workshop de culinária, exposições, atividades pedagógicas, palestras e programações especiais para novembro. Mas, por causa da pandemia do Coronavírus, tivemos que nos reinventarmos e já estamos com uma ação em andamento, que será a tradicional Feijoada da 20, em edição especial delivery e drive-thru no dia 19 de setembro e em breve estaremos divulgando nas redes sociais as informações”.

Casa do Artesão e do Artista Plástico

Localizada na Rua Duque de Caixas, 115, bairro Cidade Alta, a Casa do Artesão e do Artista Plástico foi inaugurada em junho de 2017. O espaço congrega as associações do setor, exposições, local de comercialização de seus produtos, oficinas de artes, entre outras atividades, além de ser uma referência da produção artística e cultural de Bento Gonçalves.

A Associação dos Artesãos tem como presidente Carmem Vicari Morini e conta com 52 associados. Já a Associação dos Artistas Plásticos tem como presidente Ivete Todeschini Menegotto e conta com 60 associados.

Casas de Artesanato

Em julho, a Praça Dr. Bartholomeu Tacchini ganhou as Casas de Artesanato as quais são ocupadas pela Associação dos Artesãos de Rua de Bento Gonçalves que expressa à valorização do artista, do artesanato e da produção local sendo uma das prioridades da Administração Municipal.

O projeto arquitetônico foi realizado pelo IPURB e executado por meio de uma medida mitigatória das obras do novo complexo turístico da Piazza Salton. A ação envolveu as secretarias de Governo, Cultura, Desenvolvimento Econômico, Turismo e Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPURB).

Além de comercializarem seus produtos, os artesãos também têm o compromisso de serem agentes de cultura e turismo e na preservação ambiental do entorno da praça, e, ainda, colaborar para o desenvolvimento das ações de qualificação do roteiro cultural e turístico da Via Del Vino.

Rua Coberta

A Rua Coberta foi inaugurada em junho de 2016. Sua estrutura possui 53 metros de extensão e cobertura metálica com telhas translúcidas. A estrutura é metálica com revestimento em madeira e aço e o piso, em basalto rústico. Possui três módulos comerciais fechados, disponíveis para comercialização e exposição de produtos.

O local recebeu a finalização do projeto de mobiliário urbano e paisagismo em fevereiro de 2018 com a colocação de balizadores com iluminação, floreiras, lixeiras, bancos, árvores, arbustos e grama no entorno. Em 2019, o espaço sediou 38 eventos e teve, aproximadamente, uma circulação de 32.610 pessoas.

A obra de urbanização situada ao lado da Rua Coberta foi entregue á comunidade em 17 de janeiro de 2020. O espaço, uma área verde com 394 m², possui bancos, iluminação, lixeiras e bicicletário, onde o público pode desfrutar de um bate-papo com os amigos, ou interagir com os eventos que estejam ocorrendo no local.

Praça CEU

A Praça CEU – Estação Cidadania de Bento Gonçalves é uma referência sobre a descentralização da Cultura indo de encontro a uma parcela da população em vulnerabilidade social.  O espaço localizado na Rua Calisto Orestes Sganzerla, no bairro Ouro Verde, conta com quadra poliesportiva coberta, pista de caminhada, academia ao ar livre, pista de skate, mini palco de apresentações, biblioteca (com acervo com aproximadamente 3,5 mil títulos), telecentro comunitário, salas multiuso e um Centro de Referência e Assistência Social (CRAS I).

Em 2019, a Praça CEU teve um aumento no número de oficinas ofertadas, totalizando 269 alunos, 79,3% em relação a 2018.  Por um período de 10 meses, foram ofertadas oficinas como Dança Urbana, Ginástica para a 3ª Idade, Artesanato em Madeira, Violão Básico, Desenho Artístico, Canto Coral, Artesanato Sustentável, Crochê e Amigurumi, Biodança, Judô, Hapkidô, Capoeira e Meditação.

A terceira Idade foi o público com a maior demanda, beneficiando-se de cursos como Informática (em parceria com a ACESSUAS), Ginástica e de trabalhos manuais como Crochê e Amigurumi e Artesanato Sustentável, totalizando 110 alunos.

A Praça CEU entrou para a plataforma Cartografia dos Palcos, projeto que teve financiamento por meio de edital da Secretaria Estadual da Cultura (Sedac) e pode ser conferida por este link https://cartografiadospalcos.com.br/. A inserção da Praça CEU não é por acaso: “é fruto de uma política pública de muito trabalho que valoriza a diversidade e que ampliou a comunicação com o público de seu entorno. Nossa preocupação foi sempre chegar a públicos periféricos, bem como, de oferecer ações que criasses vínculos, que faz diferença no dia a dia. E isso conseguimos, pois somos um exemplo que está de acordo com os princípios e normas do projeto e já podemos dizer que somo uma família, a Família da Praça CEU”.

A Praça CEU ampliou o acesso a difusão e fruição dos bens e serviços da área juntamente com o esporte e assistência social. E isso se nota nos incentivos à leitura, sessões de cinema, eventos de Hip Hop, na valorização do aluno da 3ª Idade, bem como, abrigou eventos do Dia da Mulher, Dia das Mães, Eu amo bicho, Avaliações de Saúde Bucal, sessões de cinema como o Cine Debate, Curso de Primeiros Socorros, Visita e apresentações das Oficinas no Lar do Ancião, Campanha do Agasalho (Gabinete da Primeira-dama) e eventos de Hip Hop.

Em 2020, a Praça CEU executou o projeto “Guardiões do CEU” que teve ciclos de palestras sobre Segurança, Saúde e Meio Ambiente. Em virtude da pandemia provocada pelo Coronavírus, as oficinas e outras atividades precisaram ser adiadas.

Para mitigar os efeitos do isolamento social, a instituição realizou o Festival de Arte, produção de vídeos e/ou fotos por celular sobre a quarentena para serem postadas nas redes sociais da Praça CEU, e “Poesia, o alimento de alma”, ação que visou levar a poesia à população mais carente por meio de versos que representem conforto e recomeço e objetiva alcançar aproximadamente 150 lares onde são entregues as cestas básicas.

Museu do Imigrante

Entregue em junho de 2016, o restauro do Museu do Imigrante marcou uma nova era para o segmento do Patrimônio Material e Imaterial de Bento Gonçalves. Fechado desde 2010, em 2013, por meio da Lei Rouanet, foram captados cerca de R$ 500 mil, o que impulsionou as obras. A partir de agosto de 2014, ocorreu a retirada e a recuperação das aberturas de madeira.

Em setembro de 2015, começou o restauro geral do prédio, com prazo de 365 dias para a conclusão. Foi um período de remoção de alvenarias, do reboco interno e externo degradados, além do tratamento de revestimento interno, remoção de pisos e azulejaria, da tubulação hidráulica, limpeza e imunização dos assoalhos de madeira, dos vigamentos estruturais, entre outros trabalhos.

Após a sua reabertura, o Museu ofereceu à comunidade e visitantes uma programação variada que além de contar com as visitas guiadas, promoveu diversas atividades de Educação Patrimonial, criação do Departamento de Pesquisa, Café com Memória, entre outros. Em 2019, a instituição teve um aumento de 22,40% de público espontâneo.

Em abril de 2020 iniciou o processo de revitalização das 31 esquadrias e da porta de entrada do Museu do Imigrante e foi finalizada em junho. O trabalho foi realizado pelas empresas Construtora Poletto e Cavallet Esquadrias por meio de uma medida mitigatória das obras do novo complexo turístico da Piazza Salton. A ação integrou o Programa de Conservação Permanente do Museu e seguiu os protocolos da época do restauro.

Em 21 de maio, o Museu do Imigrante completou 45 anos de abertura ao público e de funcionamento e lançou atividades virtuais no Instagram e Facebook como Tbt do Museu, Tour do Museu do Imigrante, Museu em detalhes e Quarentena com o Museu.

No segundo semestre, de forma online, a instituição irá lançar a plataforma digital Tainacan, ação de comunicação do projeto Laços Patrimoniais e a mostra virtual do “Cliques da Quarentena”. A ação integra a programação do Dia Estadual do Patrimônio Cultural.

Casa Geisel

Entregue para a comunidade em dezembro de 2019, a Casa Geisel abriga a Junta de Serviço Militar e o Memorial Geisel, que aborda o período que a família viveu no município, com fotos do acervo do Museu do Imigrante e do Arquivo Histórico.

O processo de revitalização preservou as características arquitetônicas da edificação e em alguns ambientes manteve-se o cobrimento da alvenaria original além de se deixar “janelas didáticas” nos revestimentos para visualizar o modo como a alvenaria fora feita. Essas “janelas didáticas” são partes em que a alvenaria não recebe cobrimento (reboco novo) em determinadas áreas, porém recebe cobrimento de água repelente a base de silicone sem alterar a aparência da superfície.

Ainda, o local conta com reportagens históricas e fotos do presidente e tem o busto do General esculpido pelo artista Dalcir Marcon.

A Casa Geisel é cedida em comodato para utilização da Prefeitura Municipal pela FERVI, e já abrigou Secretarias e a obra foi uma parceria entre o 6° Batalhão de Comunicações (BCOM), Fervi e Hospital Tacchini.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Foto: Arquivo ASCOM