Endividamento e inadimplência das famílias gaúchas segue em redução, segundo a Fecomércio-RS

iStock_000020734328_Large-courtneyk-768x511

Dados refletem recuperação do mercado de trabalho, baixa taxa de juros e inflação na meta

Avaliado mensalmente pela Fecomércio-RS, o nível de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) no Rio Grande do Sul registrou queda novamente no mês de outubro, ficando em 63,2%. Os dados divulgados nesta sexta-feira, 16 de novembro, registraram pela primeira vez no ano um percentual de endividamento abaixo de 65%, com destaque para o recuo no grupo com rendimento de até 10 salários mínimos. “A recuperação da economia, em especial do mercado de trabalho, mesmo que em ritmo brando, tem contribuído para a redução no percentual de famílias endividadas”, comenta o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

Em outubro, a parcela da renda comprometida com dívidas também caiu em relação ao mês anterior, fechando em 30,1% na média dos últimos 12 meses. O tempo de comprometimento da dívida para o mesmo período teve recuo, e ficou em 6,6 meses – em setembro era de 6,9 meses. O cartão de crédito permanece como principal meio de formação de dívidas (88,8%), seguido por crédito pessoal (13,8%), carnês (12,5%) e financiamento de carro (5,1%).

O percentual de famílias no Rio Grande do Sul com dívidas em atraso também apresentou diminuição. O índice, que está em 18,9%, apresentou o menor valor desde julho de 2016 (17,3%), e teve uma queda significativa em relação ao mesmo período de 2017 (37,6%). Na média em 12 meses o indicador diminuiu de 33,7% em setembro para 32,1% agora em outubro. As famílias também estão levando menos tempo também para pagar as suas contas em atraso – 49,6 dias em média, uma queda de cinco dias em relação ao mês anterior. Segundo Bohn, a oferta de empregos, que cresceu nos últimos meses, contribui para a melhora do índice. Ainda, ressalta o presidente, a ocupação de postos de trabalho, mesmo que algumas vezes informais, é um fator positivo para a diminuição da inadimplência.

O número de gaúchos que não terão condições de honrar suas dívidas vencidas no prazo de 30 dias também teve queda, saindo de 11,1% em outubro/2017 para 5,1% em outubro/2018. De acordo com a Fecomércio-RS, o dado apurado segue abaixo do registrado em 2017 e não preocupa a entidade, especialmente devido a recuperação econômica em curso.

 

Fonte: Fecomércio-RS