Encontro em Bento mobiliza cooperativas e discute lei que obriga vigilância 24h nos bancos

Nesta sexta-feira, dia 19, nas dependências da Fundação Casa das Artes em Bento Gonçalves, ocorreu um encontro com o intuito de discutir legislações municipais que envolvem a vigilância 24h em instituições financeiras e que impactam cooperativas de crédito. A realização foi do Sistema Ocergs-Sescoop/RS.

Pelo menos 35 cidades no Rio Grande do Sul possuem a Lei que dispõe desta obrigatoriedade. No entendimento das cooperativas a presença de um vigilante não significa inibir qualquer ação mais vultuosa de bandidos, mas, além disso o foco passa por resguardar uma vida.

“Este sistema de vigilância tem que preservar vidas. Estamos trazendo para os municípios que existem sistemas nacionais e mecanismos de controle e fiscalização. Precisamos repensar esta legislação”, comentou o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius.

Em Bento Gonçalves por exemplo, a legislação foi aprovada pela Câmara Municipal de Vereadores e posteriormente sancionada pelo prefeito Guilherme Pasin em agosto de 2017. Representantes de bancos chegaram a realizar um encontro sobre o assunto.

O projeto original foi de autoria do vereador Anderson Zanella. Ele esteve presente no encontro e destacou que em dois anos da Lei o “índice é zero em assaltos em agências bancárias, o que nos remete a eficácia da Lei em vigor. A prevenção já funcionou”, disse.

Para o presidente da Sicredi Serrana RS, Marcos Balbinott, salienta que a seguranças nas comunidades e cidades é de interesse da cooperativa. “Não poupamos esforços de investir de diversas formas para inibir. As nossas agências são monitoradas de forma remota e entendemos que ter uma pessoa 24h dentro da agência coloca em risco muito grande aquela pessoa”, expôs.

Participaram do encontro o prefeito Guilherme Pasin, de Bento e também presidente da Amesne (Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste), o vice-prefeito de Cotiporã,  Ivaldo Wearich, o prefeito de Guaporé, Valdir Fabris, outras lideranças da região, Secretários Municipais, dirigentes da Sicredi Serrana, Sicredi Pioneira, Central Sicredi Sul/Sudeste, Sicoob, o presidente da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, vereador Rafael Pasqualotto e o vereador Anderson Zanella, o deputado estadual Elton Weber e presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo na Assembleia Legislativa, entre outros.

Os representantes dos municípios se dispuseram a analisar as sugestões e é possível o envolvimento de órgãos de segurança em futuros debates.

Para a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), “a permanência de vigilantes nas áreas de autoatendimento fora do horário normal de expediente bancário, inclusive no período noturno e nos sábados, domingos e feriados, não melhora a segurança e pode gerar problemas adicionais”.

Em nota divulgada ainda em 2017, a Febraban disse que “o vigilante armado e com colete balístico na sala de autoatendimento nesses períodos de baixo movimento é alvo fácil de assaltantes interessados em roubar seu colete e arma para a prática de outros crimes”.

Relembre AQUI a sanção do prefeito Guilherme Pasin da Lei no município.

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora

Fotos: Prefeitura de Bento Gonçalves / Assessoria de Imprensa