Embrapa capacita produtores do Concurso de Produtos da Agroindústria Familiar

grupo

“Qualificar vinhos e sucos” – esse foi o principal objetivo que fez com que produtores familiares que concorreram no 7º Concurso de Vinhos e Sucos da Agroindústria Familiar, realizado durante a Expointer 2018, atendessem ao convite da Embrapa Uva e Vinho, na tarde de ontem, dia 13 de novembro.

De forma pioneira, a equipe da Embrapa, que participa da organização do Concurso, propôs e realizou a capacitação direcionada para as 18 agroindústrias de diversas regiões do estado do RS, que participaram desta edição. “Nossa ideia foi reunir os técnicos, que atuaram como degustadores, e os produtores rurais, que tiveram suas amostras avaliadas, para oferecer um retorno sobre a qualidade dos produtos e, principalmente, contribuir para qualificar ainda mais as agroindústrias”, explicou Rodrigo Monteiro, que ao lado de João Carlos Taffarel, foi o idealizador da ideia.

Muito mais que um treinamento, ele destacou que a ideia foi possibilitar um momento para apresentar os critérios da avaliação e os principais problemas que foram identificados ao longo dos anos no Concurso, que já está em sua sétima edição.

Longe de ser um treinamento formal, o encontro foi pontuado pelo repasse de orientações sobre as boas práticas de elaboração e de degustação de vinhos e sucos, e também um espaço para esclarecimento de dúvidas. Como parte da atividade, João Carlos Taffarel conduziu a degustação de quatro vinhos e dez sucos varietais, para que os produtores pudessem identificar o sabor, a cor e o aroma característico de cada uma das cultivares, desde a tradicional Isabel, passando pelas cultivares já lançadas pelo Programa de Melhoramento ‘Uvas do Brasil’, como a ‘BRS Magna’, até uvas que ainda estão em processo de seleção e que poderão ser lançadas pela Embrapa. “Degustem e anotem as características de cada produto na ficha de avaliação. Depois, cada um pode escolher a melhor uva para a sua realidade. Se é pior ou melhor, depende do gosto de cada um”, orientou Taffarel durante a sessão.

 Guilherme de Andrade Abreu, da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Estado do Rio Grande do Sul (SDR), entidade responsável pelo Concurso, aprovou a iniciativa e acredita que a ação irá melhorar ainda mais o Evento que já é tradicional dentro da Feira da Agricultura Familiar da Expointer. “Foi uma excelente oportunidade e com certeza vamos levar essa capacitação para as outras categorias do Concurso de Produtos da Agroindústria Familiar, como queijo, salame, mel e cachaça, buscando cada vez mais valorizar os produtos da agricultura familiar”, comentou.

 “Foi excelente! Aprendi como degustar e avaliar os vinhos e sucos. Vai ajudar agora quando formos fazer”, declarou a produtora Diva Flâmia, da  Piccola Cantina, a primeira agroindústria de vinho colonial legalizada no Brasil, que fica no município de Bento Gonçalves. Os produtores Amilton Tolotti e Marinês Tolotti, da Agroindústria Tolotti, de Barra Funda, filiada à Cooperativa da Produção dos Agricultores Familiares de Sarandi  e Região (COOPAFS), da região de Sarandi, destacaram a oportunidade de degustar sucos de diferentes variedades de uva.

“Foi muito construtivo conhecer essas novas variedades e os sucos elaborados com elas. Anotei pelo menos cinco novas uvas que pretendo implantar, junto com a ‘BRS Carmem’, que ano que vem dará a primeira safra”, pontuou ele. Tolotti vê nessas novas uvas a oportunidade de qualificar o suco e ficar entre os primeiros colocados no próximo ano.

Jorge Ritter e Arlete Ritter, da Cooperativa de Sertão Santana, saíram do evento decididos a melhorar o suco que vendem para a alimentação escolar com o plantio de novas cultivares. “Já estamos testando a ‘BRS Violeta’ e a ‘BRS Carmem’, mas agora conhecemos muitas outras opções”, declarou ele, que integra o grupo de 15 produtores de uva que elaboram 40 mil litros de suco, vendidos diretamente para as escolas públicas de Guaíba a Camaquã.

No encontro também houve um espaço para que Plínio Manosso, coordenador do Laboratório de Referência Enológica (LAREN), repassasse orientações sobre a legislação e os  padrões de qualidade estabelecidos para os produtos vitivinícolas. “Faz parte da nossa missão, como órgão governamental, orientar também os pequenos produtores”, destacou ele.

No encerramento da capacitação, também de forma pioneira, a equipe da Embrapa lançou a ideia de realizar visitas a todas as agroindústrias que participaram do concurso, para contribuir de uma forma mais prática com a qualificação dos produtores e dos sucos e vinhos elaborados, ideia que foi prontamente aceita pelo grupo e que deverá ser estudada e viabilizada no próximo ano.

A Capacitação das Agroindústrias do 7º Concurso de Vinhos e Sucos da Agroindústria Familiar foi uma parceria da Embrapa Uva e Vinho com a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) Emater-RS/ASCAR, Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS)e Laboratório de Referência Enológica (LAREN).