Economista da UCS avalia cenário e diz que flexibilizações colaboram para lenta reação

Junho foi o quarto mês consecutivo de decréscimo nos empregos formais no Brasil, no Rio Grande do Sul e em Bento Gonçalves. As informações constam na Carta Mensal do Mercado Formal de Trabalho divulgada pela Universidade de Caxias do Sul (UCS) que tem como base o números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia (ME).

No País foram 11 mil demissões (895,5 mil admissões e 906,4 mil desligamentos), no Estado 4,9 mil (53,3 mil admissões e 58,2 mil desligamentos) e na Capital do Vinho 18 vagas a menos (939 admissões e 957 desligamentos).

Além de todos estes aspectos, o “abre e fecha” no Modelo de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul continua trazendo reflexos.

Para saber mais das projeções econômicas em meio à um cenário desafiador a Rádio Difusora entrevistou a professora Maria Carolina Gullo, economista da UCS (Universidade de Caxias do Sul) na reportagem abaixo.

Acompanhe:

*Outros números de Bento Gonçalves:

1,2 mil demissões 2020 (saldo admissões menos desligamentos)

1,2 mil demissões no último ano (saldo admissões menos desligamentos)

A crise gerada pelo Covid-19 pode aumentar o número de desempregados em quase 25 milhões, segundo estimativa da Organização Internacional do Trabalho (OIT), e uma perda de renda do trabalhador de 3 trilhões de dólares.

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora