Demandas da região são apresentadas ao Ministro da Saúde em Bento

Para este ano, não há previsão orçamentária para a revisão da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). É o que afirmou o ministro da Saúde, Ricardo Barros, em um encontro com prefeitos da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) nesta sexta-feira, dia 24. A reunião ocorreu em Bento Gonçalves, onde os chefes do executivo tiveram a oportunidade de expor as principais demandas da região.

De acordo com o ministro, neste sentido, o desafio principal é a informatização, para que as equipes tenham conhecimento do que ocorre nos serviços de saúde. “Aumentar a tabela SUS simplesmente não vai resolver o problema porque tem gente recebendo R$ 400 na UTI e tem gente recebendo R$ 800 em um leito de UTI”, explica.

Um aporte financeiro maior para cirurgias de alta complexidade foi uma necessidade exposta pelo prefeito de Veranópolis , Waldemar de Carli. Ainda de acordo com o ministro, em 2017, o orçamento prevê a destinação de R$ 340 milhões para que seja realizado um mutirão de cirurgias, exames e consultas. Conforme ele, um dos motivos de não ocorrer a distribuição ainda é a não autorização do Planejamento no momento.

Para o presidente da Amesne, Ricardo Bidese, a vinda do ministro para a região é importante pelo fato dele ter atuado também como prefeito. “Em uma conversa informal que tivemos, ele entende que nossa  região gasta de 22%  a 23% de média em recursos da saúde, ou seja, ele sabe que os municípios aqui investem muito”, ressalta. O chefe do executivo acredita que o ministro tenha ficado satisfeito, assim, como a entidade.

Entre as demandas de Bento Gonçalves, o município não solicita nada a mais do que tem direito, afirma o prefeito, Guilherme Pasin. “Bento Gonçalves, pura e simplesmente bem executa os serviços com os recursos  captados do governo federal e aqui buscamos mostrar a eles  e garantir Bento Gonçalves para outras condições de aporte de recursos”, encerra. Entre as autoridades, estiveram presentes no evento a senadora Ana Amélia Lemos (PP) e o deputado federal Jerônimo Goergen (PP).