CPFL Energia investe R$ 2,2 milhões na troca de motores elétricos em empresas do RS e SP

1_19447729-2831264

Projeto, que contempla cidades da área da RGE, beneficiou 16 empresas e proporcionará uma economia de 900 MWh por ano, suficiente para abastecer 370 famílias por ano

A Rio Grande Energia (RGE), a CPFL Paulista e a CPFL Piratininga, distribuidoras da CPFL Energia, um dos maiores grupos privados do setor elétrico, investiram, juntas, R$ 2,2 milhões na troca de motores elétricos em 16 empresas de diversos segmentos industriais em 33 cidades dos estados de São Paulo e do Rio Grande do Sul. Batizado de “Desconto Eficiente – Motores Elétricos”, o projeto teve o objetivo de retirar de circulação motores antigos e substitui-los por novos equipamentos, mais modernos e eficientes, promovendo, assim, o uso racional da energia elétrica e a redução nas despesas dos consumidores com a conta de luz.

A ação, financiada com recursos do Programa de Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), trará uma economia na ordem de 900 MWh ao ano, energia suficiente para abastecer 370 famílias com consumo médio de 200 kWh por ano. A iniciativa também vai retirar 150kW de carga no horário de ponta, o que traz mais estabilidade ao sistema e reduz a geração térmica, mais cara e poluente.

Entre os setores contemplados no projeto estão empresas de saneamento, fabricante de pneus, usinas de açúcar e álcool, indústrias de plásticos, empresas de alimentos, fabricantes de autopeças, vinícolas e empresas têxtis. Entre as companhias gaúchas que receberam os investimentos estão a Vinícola Aurora, Pian Alimentos, ITM e Sultextil. O projeto beneficia as cidades de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Farroupilha e Paraí, da área de concessão da RGE.

Atualmente, os motores elétricos (força motriz) consomem em torno 68% da energia elétrica no segmento industrial, o que equivale a 25% de toda a energia elétrica do País. O objetivo do projeto é justamente tornar esse consumo mais eficiente, desestimulando a prática do reuso dos equipamentos avariados (conhecida como rebobinamento). Isso permite a retirada de circulação de motores ineficientes com a substituição por motores de alto rendimento, mais modernos e eficientes.

Pelas regras da iniciativa, a distribuidoras concedem um bônus aos clientes para a aquisição de novos motores elétricos. Os clientes contemplados apresentam a nota fiscal da aquisição do novo motor, as fotos dos motores trocados e laudo de descarte do motor antigo. Após a análise da documentação, as concessionárias devolvem uma parte do valor, dependendo da potência do equipamento substituído. Normalmente, o bônus concedido fica em torno de 40% do custo de aquisição do motor.

Previamente à concessão do bônus para a aquisição dos novos equipamentos, as distribuidoras analisam os projetos encaminhados pelos interessados, avaliando as solicitações com base em critérios técnico-econômicos. Sendo considerado apto, o projeto proposto é ranqueado, e aqueles que se adequarem ao orçamento previsto no edital público podem ser contemplados com o bônus.

De acordo com o gerente de Eficiência Energética da CPFL Energia, Felipe Henrique Zaia, a chamada prioritária visa incentivar a eficiência energética no segmento de força motriz, principalmente no segmento industrial, que consome em torno 35,8% de toda energia elétrica do Brasil. “O principal objetivo do projeto é promover da substituição de motores elétricos antigos ou recondicionados por motores modernos e eficientes utilizando um sistema de bônus que reembolsa 40% do valor do motor novo adquirido e instalado”, afirma.

Sobre a RGE

A Rio Grande Energia (RGE) é a distribuidora de energia elétrica da região norte-nordeste do Estado do Rio Grande do Sul. Originada do modelo de concessão pública para distribuição de energia elétrica em 21 de outubro de 1997, a empresa atende 255 municípios gaúchos, o que representa 54% do total de municípios do Estado.

A área de cobertura da RGE divide-se em duas grandes regionais: a Centro, com sede em Passo Fundo, e a Leste, com sede em Caxias do Sul. São 90.718 km² – 34% do território do Estado. Agrupadas, essas regiões apresentam um dos melhores índices sociais e econômicos do Brasil e também são as responsáveis pelo maior polo agrícola, pecuário, industrial e turístico do estado.

A RGE busca os mais altos níveis de eficiência no atendimento aos seus clientes sendo parceira dos municípios gaúchos no desenvolvimento econômico do RS dentro de sua área de concessão. Desde 2006 a RGE passou a fazer parte integralmente do grupo CPFL Energia, o maior grupo privado do setor elétrico brasileiro.

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 105 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização e serviços. Desde janeiro de 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a segunda maior organização empresarial do mundo e a maior companhia de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

Com 14% de participação, a CPFL Energia é vice-líder no mercado de distribuição, totalizando cerca de 9,4 milhões de clientes em 679 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 14% na venda para consumidores finais. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.

Na geração, é a terceira maior agente privada do País, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis, como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. Ao final do primeiro trimestre de 2018, a capacidade instalada do Grupo CPFL alcançou 3.283 MW.

A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da B3 e ADR Nível III na NYSE, além de participar do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3 pelo 13º ano consecutivo. O Grupo também ocupa posição de destaque como um dos maiores investidores brasileiros em arte, cultura e esporte.