Coronavírus: número de casos confirmados fica estável em 25 no Brasil

O número de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) no país ficou estável em 25, sem novos pacientes infectados em relação a ontem (8). O boletim foi divulgado pelo Ministério da Saúde hoje (9) em Brasília.

Além dos pacientes confirmados, foram registrados 930 casos suspeitos, um aumento em relação ao total de ontem, quando o Ministério da Saúde contabilizou 663 pessoas nessa situação. Já os pacientes com infecção descartada pelas autoridades de saúde ficaram em 685.

São Paulo segue liderando, com 16 casos. Além dos episódios no estado, foram identificados três no Rio de Janeiro, dois na Bahia, um no Distrito Federal, um no Espírito Santo, um em Alagoas, e um em Minas Gerais.

Já no tocante aos casos suspeitos, São Paulo também está na frente (322), seguido de Minas Gerais e do Rio de Janeiro (122), Rio Grande do Sul (112) e Bahia (46). No recorte por região, o Sudeste concentra o maior número de pacientes com suspeitas (567), seguido do Sul (188) e Nordeste (96).

Caso mais grave de coronavírus no Brasil

No Distrito Federal, a paciente infectada após uma viagem ao Reino Unido está internada no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Segundo a Secretaria de Saúde do DF, ela teve uma melhora do quadro respiratório, mas o estado ainda é grave, com síndrome respiratória aguda.

Coronavírus no mundo

Os casos em todo o mundo passaram dos 105 mil, espalhados por 101 países. Eles provocaram 3,5 mil mortes, o que resulta em uma taxa de letalidade de 3,4%. A China é responsável por 89,5 mil casos, com 3,1 mil óbitos. Já a Europa totalizou até o momento 9,5 mil pessoas infectadas.
Campanha de vacinação contra a gripe

A campanha de vacinação foi antecipada para o dia 23 de março, estendendo-se até maio. Na primeira fase, o foco será imunizar idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde. Na segunda fase, a partir do dia 16 de abril, o público-alvo será o professores e profissionais das forças de segurança e salvamento.

A terceira etapa terá início no dia 9 de maio e vai atender crianças de 6 meses a menores de 6 anos, doentes crônicos, pessoas com 55 anos ou mais, grávidas, mães no pós-parto, população indígena e portadores de condições especiais. Nesta data também será o dia D de vacinação da campanha.

Saúde na Hora 2.0

O Ministério da Saúde anunciou o que chamou de Saúde na Hora 2.0, uma ampliação do programa que oferece compensação financeira a unidades de saúde que ampliam o horário de atendimento para além das 40h semanais, lançado em maio do ano passado.

Atualmente o programa tem unidades de atendimento que funcionam até as 20h ou até as 22h. Será passado até R$ 58 mil aos locais que ficam abertos por mais tempo. Elas precisam ter pelo menos três equipes de saúde. Contudo, há um conjunto equipado com menos profissionais.

A novidade será a possibilidade de unidades menores acessarem a iniciativa, com uma ou duas equipes. O repasse do recurso será proporcional. O incentivo federal será de R$ 15 mil por cada módulo de equipe que funciona 60h por semana. A avaliação do governo é que até cinco mil unidades estão nessa condição, mas é preciso que os municípios façam a adesão.

Fonte e foto: Agência Brasil