Confira alguns cuidados que você deve tomar ao fazer compras durante a pandemia

A chegada do coronavírus ao Brasil e as medidas de controle de circulação de pessoas provocaram uma corrida aos supermercados.

Os decretos estaduais de fechamento de comércio não incluem a categoria – que faz parte da cadeia produtiva e da distribuição de produtos de primeira necessidade para a população.

A ida ao supermercado requer cuidados de consumidores e medidas de proteção aos trabalhadores. A recomendação é reduzir a ida a esses estabelecimentos e adotar uma série de cuidados.

Mas o que se vê nas cidades brasileiras são supermercados cheios. Marilia Carvalho, faz parte de uma Comissão de enfrentamento à Covid-19, e afirma que a maior dificuldade das autoridades de saúde é  conter as aglomerações nesses espaços.

A Vigilância Sanitária recomenda bom senso. Evitar ir várias vezes às compras, e quando necessário, apenas um membro da família deve ser designado para essa tarefa.

Nas filas, a distância mais segura recomendada é de dois metros entre as pessoas. Os cuidados devem se estender até a chegada em casa: tome banho, higienize as compras e tudo aquilo que trouxer da rua.

Confira mais algumas dicas, que são importantes:

– Planeje qual será o cardápio das próximas semanas para dimensionar as compras e evitar várias idas ao mercado e outros centros de abastecimento.

– Não há previsão de tempo para o confinamento, mas ele pode se alongar. Usando bom senso e de acordo com a sua capacidade financeira, considere que as compras devem durar mais que o que normalmente duram. Mas não se desespere e evite o exagero.

– Avalie o tempo de durabilidade dos alimentos e crie estratégias para que eles durem mais.  Alimentos como farinha, leite, sal, açúcar, óleo e alguns enlatados duram mais e são estocáveis. Compre carne, frango e peixe em porções, para usar gradualmente e congelar o restante. Use a técnica de “braqueamento” para aumentar a durabilidade de alimentos como legumes e verduras: coloque eles em água quente por alguns minutos e depois em água gelada; isso vai criar uma camada protetora nestes alimentos, sem perda de seus nutrientes.

– Compre frutas mais maduras para o uso nos próximos três ou quatro dias e frutas mais verdes para consumir a  médio e longo prazo. Aquelas que você sabe que não vai consumir num primeiro momento, congele em pedaços ou batido no liquidificador com pouca água. A partir disso, você pode fazer mousse, sorvete,  colocar em bolos, sempre pensando no consumo integral do alimento.

–  Ao chegar com as compras em casa, separe uma mesa para colocar tudo o que vem da rua. Retirar os alimentos de sua embalagens originais, coloque frutas, verduras e legumes em potes fechados ou em sacos próprios para refrigerador. Alimentos com lataria e sacos que não podem ser retirados devem ser lavados. Depois, borrife-os com uma solução de hipoclorito ou uma diluição de água sanitária e guarde-os quando estiverem secos. Depois que a mesa for esvaziada, limpe-a com água e sabão e borrife álcool 70 ou uma solução de água sanitária e água e deixe secar.

– Pensar em substituição de alimentos, além de ampliar o horizonte diante de um cardápio muitas vezes monótono, pode ajudar neste período. Em vez, por exemplo, de ir à padaria todo dia para comprar pão francês, pode-se ter um café da manhã ou lanche com panqueca, crepioca, uma fatia de bolo e até com pão feito em casa, que pode envolver toda a família no preparo e pode ser congelado.

Central de Jornalismo da Rádio Difusora

Foto: Ilustrativa