Confiança do industrial gaúcho estabiliza em patamar elevado

A percepção do industrial gaúcho sobre a economia brasileira e a condição das empresas continua positiva, aponta pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS). O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS) de outubro, divulgado nessa quarta-feira (21), alcançou 64,9 pontos, mantendo estabilidade na comparação com setembro, quando foi de 65,2.

Mas interrompeu quatro aumentos consecutivos, superiores a 33 pontos, depois do piso histórico de 32, em maio. “O resultado ainda mostra uma visão otimista, acomodada em patamar elevado, após os crescimentos expressivos ocorridos na sequência ao choque negativo gerado pela pandemia entre março e maio”, diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

O ICEI-RS varia de zero a 100 pontos e valores acima de 50 implicam confiança. Entre os consultados na pesquisa, a percepção sobre as condições atuais melhorou. Todos indicadores continuaram acima dos 50 pontos em outubro. “A melhora dos indicadores de condições atuais reflete a retomada gradual da atividade industrial, enquanto as expectativas, bastante positivas, sugerem a manutenção desse processo de recuperação nos próximos meses, com um cenário mais favorável para investimentos e emprego no setor”, explica o presidente da FIERGS.

O Índice de Condições Atuais cresceu pelo quinto mês em outubro, atingindo 60,7 pontos, 1,3 a mais do que setembro. A percepção favorável dos empresários gaúchos perante a economia aumentou: o índice subiu de 54,6 para 56,7 pontos no período. O percentual que percebe melhora (45,4%) na economia brasileira foi mais que o dobro do que percebe piora (20,8%). A maioria, 58,9%, também  notou reação nas empresas, cujo índice subiu de 61,8 para 62,7 pontos.

Em relação aos próximos seis meses, todos os indicadores continuaram bem acima dos 50 pontos, embora um pouco menor na comparação com setembro. O Índice de Expectativas atingiu 67 pontos, pequena redução ante os 68,1 do mês passado. O Índice de Expectativas da Economia Brasileira caiu de 63,6 para 62,2 pontos no período, com 56,5% das empresas, em outubro, demonstrando otimismo e apenas 8,2%, pessimismo. Já o Índice de Expectativas para as empresas recuou de 70,3 para 69,4 pontos entre setembro e outubro.

A pesquisa foi realizada com 208 empresas, sendo 40 pequenas, 67 médias e 101 grandes, entre 1º e 14 de outubro. Mais informações em https://www.fiergs.org.br/numeros-da-industria/indice-de-confianca-do-empresario-industrial.

Fonte: Unidade de Comunicação do Sistema FIERGS

Foto: Vinicius Magalhães