Comando Rodoviário da Brigada Militar apresenta balanço do final de semana

Os dados contabilizados são de 21 de janeiro até às 21h, do domingo (23), em todo o Estado do Rio Grande do Sul.

No último fim de semana, entre sexta a domingo, o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) realizou diversas ações e operações nas rodovias estaduais na prevenção da acidentalidade e no enfrentamento da criminalidade.

Ao longo dos três dias, foram fiscalizados 16.257 veículos, identificadas 12.533 pessoas.
Cerca de 3.092 autos de infrações foram lavrados, principalmente por infrações que incidem na acidentalidade, como por exemplo, a ultrapassagem em local proibido.

O excesso de velocidade, que é uma infração que agrava o resultado dos acidentes e que é a causa de muitas mortes no trânsito foi rigorosamente combatido. No final de semana, 8.169 veículos foram flagrados em alta velocidade nas rodovias estaduais do Rio Grande do Sul.

A embriaguez ao volante vêm preocupando o CRBM: o número de condutores que são flagrados dirigindo sob influência de álcool vem aumentando significativamente. Nesse sentido, de sexta à domingo, 69 condutores foram flagrados dirigindo após consumir bebidas alcoólicas. Em média, por dia, quase 23 condutores foram flagrados dirigindo sob influencia de álcool (sexta à domingo).

Apesar da intensificação da fiscalização e operações policiais, no período ocorreu um (1) acidente de trânsito com morte, resultando em uma vítima fatal. Esses acidentes, após a análise da dinâmica do sinistro, se percebeu que a vítima não fazia uso do cinto de segurança. Ocorreram por imprudência, notadamente o excesso de velocidade, a ultrapassagem forçada, a embriaguez ao volante e o não uso do cinto de segurança. Esses fatores combinados aumentam a gravidade dos acidentes.

O Comando Rodoviário da Brigada Militar segue atento e intensificando as fiscalizações para proporcionar aos usuários das rodovias estaduais um trânsito mais seguro.

No trânsito, sua responsabilidade salva vidas. CRBM: Um cuidado a mais, um acidente a menos.

Comunicação Social do CRBM