Com pouco mais de uma semana em funcionamento, ensino remoto demonstra bom desempenho em Bento

O Ensino Remoto, proposto pela Secretaria de Educação, é uma alternativa para mitigar a suspensão das aulas devido à pandemia do Coronavírus. Há pouco mais de uma semana em funcionamento, a solução temporária vem auxiliar na continuidade das aulas e a cumprir o calendário escolar para mais de 11 mil alunos da Rede Municipal de Ensino, que tem previsão de conclusão para 22 de dezembro de 2020.

A secretária municipal de Educação, Iraci Luchese Vasques ressalta que “Ensino Remoto não é Educação à Distância. A linha didático-pedagógica é diferente. A formação de um aluno, que inicia da creche até o Ensino Médio, precisa de um acompanhamento do profissional, da equipe diretiva num trabalho conjunto com os pais. E isso que estamos fazendo”, afirma.

A supervisora escolar dos anos finais da EMEF Vânia Medeiros Mincarone, Graziela Baronio Brun está tendo um feedback positivo do Ensino Remoto “é interessante colocar que essas gerações nasceram imersas na tecnologia. Elas já vêm com uma linguagem intuitiva de como interagir com as plataformas. E estão dando um show no roteiro de aulas e atividades estabelecidos no Educar Web. Obviamente tínhamos receio por ser uma primeira vez de trabalhar desta forma, mas, no geral, está sendo muito bom”. Graziela destaca que o atendimento tem sido individualizado, dedicando-se às dificuldades e avanços de cada aluno.

Também a diretora da EMEF Félix Faccenda, Morgana Villa Bochi coloca que “as atividades remotas que iniciaram dia 18 de maio têm repercutido positivamente em todo meio escolar. As crianças estão adorando, pois antes da iniciativa, elas estavam distantes da escola. Todas as ações contam com escuta ativa, aproximação humana, canal aberto para tirar dúvidas. A transparência é o caminho seguido para oferecer segurança aos pais no processo de aprendizagem remoto”

A estudante do nono ano da EMEF Professora Maria Margarida Zambom Benini, Krisnha Reis organiza sua rotina de como se estivesse indo às aulas presenciais. “Todo dia a plataforma vai atualizando e vai chegando novas tarefas. E quando eu entro no ambiente virtual já tem o horário da aula que eu vou ter naquele dia. Então é como se fosse na escola, com matéria nova sendo ministrada”. A estudante salienta que a plataforma é fácil de ser utilizada e o cronograma de aulas segue conforme o previsto.

A mãe da aluna Caroline do Jardim B da EMEM Alfredo Aveline, Zenaida Cavalheiro, vai buscar as atividades na escola. Ela nos diz que toda a família se envolve nas atividades da Carol, como é chamada. “Para nós está sendo muito bom, pois trouxe mais união para nós. Minha filha mais velha também auxilia nas tarefas e começa a relembrar das matérias que aprendeu quando era pequena. E isso só enriquece nossos laços. Estamos seguindo rigorosamente o cronograma que a escola nos passa e as observações das professoras e da direção”.

Zenaida observa que o papel do professor é essencial no processo do aprendizado. “Acompanhando minha filha nas tarefas, cada vez mais valorizo a profissão de Professor. É preciso ensinar duas, três, quatro vezes, até ela pegar o jeitinho”.

Frente a esse cenário, Iraci Luchese Vasques afirma que “a figura do professor continua sendo primordial nessa nova experiência da Educação Pública, pois ele está à disposição do aluno no seu horário de aula para tirar dúvidas e orientar na aprendizagem.”

Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Fotos: Divulgação/SMED