Com 6ª assinatura, Câmara de Bento aproxima-se da criação de CPI do Plano Diretor

O vereador Gustavo Sperotto (DEM) assinou na tarde desta segunda-feira (28) o documento de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para averiguar possíveis irregularidades na tramitação do projeto do Plano Diretor de Bento Gonçalves na Câmara. Agora já se tem as seis assinaturas necessárias: Moacir Camerini (PDT), Elvio de Lima (MDB), Agostinho Petroli (MDB), Idasir dos Santos (MDB) e Paulo Cavalli – Paco (PTB), além de Sperotto (DEM).

O próximo passo é protocolar a criação da CPI. Para o vereador Camerini como já se conseguiu as seis assinaturas, o objetivo agora é de cumprir os procedimentos e iniciar os trabalhos.

Já o vereador Agostinho Petroli, que preferiu não gravar entrevista, destacou que na quarta-feira os vereadores irão se reunir com o Ministério Público para consultar se a abertura de uma CPI atrapalharia ou não os trâmites do processo no Judiciário.

Em entrevista à Difusora, Sperotto destacou que assinou o documento por estar com a consciência tranquila e que agora espera que a verdade venha à tona.

“Não vou entrar em relação a mérito do processo no Judiciário, pois não posso fazê-lo. Eu só quero que a comunidade saiba que estou agindo com transparência e por isso assinei esse documento”, disse.

Promotoria de Justiça Cível de Bento Gonçalves, abriu dia 14 deste mês, um inquérito civil como forma de dar início a uma investigação de uma possível articulação para aprovação de emendas relacionadas ao Plano Diretor no Poder Legislativo local.

Em uma gravação de uma reunião realizada com moradores, o vereador Gustavo Sperotto (DEM) teria afirmado o oferecimento de R$ 40 mil para vereadores aprovarem emendas que pudessem interferir na construção de prédios no chamado Corredor Gastronômico (ZGT), que corresponde a uma zona que faz um “L” nas ruas Henry Hugo Dreher e Avenida Planalto. Este material chegou até o MP que iniciou as investigações.

Cabe salientar que após o MP iniciar o inquérito, a Prefeitura pediu o desarquivamento do projeto na Câmara.

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora