CICs Serra sugere duplicação na Serra das Antas na BR-470

brasília 470 duplicação (2)

Importantes demandas, que podem auxiliar no desenvolvimento regional e do Estado, foram mais uma vez apresentadas em Brasília, pelo presidente da CICs Serra (Associação das Entidades Representativas da Classe Empresarial da Serra Gaúcha), Édson Morello e pelo deputado Estadual Ronaldo Santini (PTB).

Dentre as principais solicitações: o asfaltamento da BR 470 de André da Rocha a Laguna, criação de via paralela na área urbana de Veranópolis, duplicação da rodovia na Serra das Antas e continuidade da 448 – Rodovia do Parque.

Para Morello, as reuniões na Capital Federal deram sequência aos pedidos que são feitos de forma recorrente. “Fomos bem enfáticos nas colocações. Entregamos materiais consistentes que apresentam a realidade que enfrentamos”, frisa.

Uma das principais demandas apresentas foi o asfaltamento do trecho da rodovia que segue de André da Rocha a Laguna. São 40 quilômetros de estrada, que segundo Morello, diminuiriam 200 quilômetros de distância para o escoamento da produção. “Os custos de transporte diminuiriam significativamente. Batemos muito nesse ponto”, ressalta.

Com o asfaltamento desse trecho, a Serra das Antas também receberia um aumento significativo no fluxo de veículos, principalmente de caminhões. Assim, Morello e o deputado também apresentaram um projeto para duplicação da Serra das Antas, entre Veranópolis e Bento Gonçalves. O traçado da nova faixa seria na antiga estrada que ligava os dois municípios, a Estrada Buarque de Macedo, iniciando no acesso à comunidade de Monte Bérico seguindo pela localidade de Lajeadinho até a ponte Ernesto Dornelles e dando sequência na estrada de chão paralela ao Rio das Antas. “A estrada já existe. O que precisará ser feito são estudos por parte do governo, delineando às normas federais”, afirma.

Édson, juntamente com lideranças de Veranópolis, chegou a gravar um vídeo do trecho, que foi apresentado ao Governo Federal. Outra demanda solicitada foi a continuação da BR 448, a Rodovia do Parque. A solicitação é de que a obra tenha continuidade até o cruzamento com a ERS 040, próximo a Casa das Cucas e, que num futuro, ela possa prosseguir até a cidade de Dois Irmãos, no Vale dos Sinos.

“Hoje, em momentos de congestionamento, motoristas enfrentam quase duas horas de engarrafamento nas proximidades da Scharlau, em São Leopoldo. A extensão da Rodovia do Parque daria fluidez ao trânsito, principalmente na ligação do Vale dos Sinos e da Serra com a região metropolitana”, enfatiza.

Em Brasília, os projetos foram recebidos por órgãos como o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre) e Secretaria dos Transportes e serão analisados. Num primeiro momento, as autoridades comprometeram-se em executar estudos de viabilidade técnica e ambiental. “Tendo essa aprovação, fica mais fácil para darmos os próximos passos, inclusive para entregarmos ao Ministro e depois irmos em busca de recursos para concretizarmos os projetos”, frisa.

Morello afirmou que saiu de Brasília animado, mas que tudo ainda são possibilidades. “Fizemos o tema de casa. Vamos voltar lá para cobrar e agendar novas reuniões. Vamos ter que continuar a luta”, destaca. Para o deputado Santini, o momento que o país está vivendo não dá condições para ter algo mais concreto, devido a instabilidade política. “Tem muitas questões para serem avaliadas. Se tivermos o projeto de viabilidade em mãos, nos facilita para darmos muitos passos. Vamos acompanhar e fazer marcação cerrada para que se tornem realidade”, argumenta.

Em caráter de urgência, as autoridades gaúchas também apresentaram uma solicitação para estudo de criação de uma via paralela para a 470, na área urbana de Veranópolis. “Hoje a cidade está sendo cortada ao meio pela BR e temos muitos acessos paralelos em sua extensão. O prefeito Waldemar De Carli já está preocupado com a situação e precisamos pensar numa alternativa, que seria a construção de uma via alternativa para fugir desse problema”, afirma.

Ronaldo destaca que a Serra Gaúcha e o Estado precisam que as demandas sejam atendidas. “A questão econômica passa pelas BRs 470, 116 e a 448. Temos muito para avançar e não podemos vacilar com isso”, encerra.

Dentre as reuniões, Morello e Santini reuniram-se com o diretor do Departamento de Planejamento de Transportes Terrestres e Aquaviários, Marcus Tavares, com o secretário Nacional de Transportes Terrestre e Aquaviário, Luciano Castro, com o diretor Executivo do Dnit, Halpher Luiggi, com o diretor do Departamento de Programas de Transportes Terrestre e Aquaviário, Paulo Sérgio Souza, com o assessor Especial do Gabinete do Ministro do Ministério da Integração Nacional, Silvio Arthur Pereira.

 

Fonte: O Estafeta / Leandro Galante