Centro Tecnológico de Acessibilidade do IFRS em Bento Gonçalves faz mostra de ideias e soluções para pessoas com deficiência

Atividade é em alusão ao Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Perceber a dificuldade do outro, principalmente de uma pessoa com deficiência, move ideias e soluções para o dia a dia. Assim trabalha o Centro Tecnológico de Acessibilidade do IFRS (CTA), que expõe seus trabalhos no hall da Reitoria da instituição durante esta terça-feira, dia 3 de dezembro (até às 16h), em alusão ao Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

À mostra, estão diversas criações tecnológicas adquiridas ou desenvolvidas pelo CTA para facilitar a vida de todas as pessoas, como máquina de escrever em braile, hardwares para manuseio de computador ou notebook que auxiliam pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida nas mãos ou braços, suporte que permite o celular se tornar em uma lupa eletrônica e ampliar textos ou imagens para pessoas com baixa visão, entre outras tecnologias assistivas.

A exposição do CTA também promove experiências. Quem visitar, pode ser desafiado a utilizar uma cadeira de rodas ou vendar os olhos e caminhar com uma bengala para cegos. “Antes de trabalhar no CTA, nunca tinha parado para pensar e reparar nas dificuldades de uma pessoa com deficiência. Sentir a dificuldade faz a gente começar a reparar no elementos do dia a dia, nos elementos urbanos, como uma parada de ônibus, por exemplo, que talvez possa ter um poste ou obstáculo que dificulte a mobilidade de um cego”, comenta Lael Nervis, técnico em informática do CTA.

Atualmente, a maioria dos materiais desenvolvidos pelo setor são de demandas para estudantes dos campi do IFRS ou de escolas. Associações de pessoas com deficiências e profissionais da saúde também solicitam soluções. Um recente exemplo foi a adaptação da cadeira de rodas do estudante Matheus Costa Gambin, do Campus Caxias do Sul, que representou o IFRS nas Paralimpíadas Escolares Nacionais, na categoria de bocha. Foi desenvolvido, com auxílio de um fisioterapeuta, uma solução para que o jogador tivesse um maior apoio nos pés ao jogar a bola de bocha.