Carta Aberta de Bento Gonçalves oficializa demandas de infraestrutura para a Serra

Foi no Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC/BG), na sede do Centro Empresarial, que aconteceu nesta sexta-feira, dia 26, o Fórum da Infraestrutura. Uma iniciativa capitaneada pelo senador Luis Carlos Heinze (PP) – que visitou a Rádio Difusora em sua agenda no município -, com a presença de deputados estaduais e federais, vereadores, prefeitos, líderes de entidades empresariais e representantes do Ministério da Infraestrutura, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), entre outros órgãos, que culminou com a “Carta Aberta de Bento Gonçalves” oficializando demandas de infraestrutura para a região da Serra.

O presidente do CIC/BG, Élton Gialdi, o vice-presidente da CICs Serra (Associação das Entidades Representativas da Classe Empresarial da Serra Gaúcha), Marcelo Piazza, o presidente da Famurs (Federação das Associações dos Municípios do RS) e prefeito de Garibaldi, Antônio Cettolin, o presidente eleito da Amesne e prefeito de Bento, Guilherme Pasin, com apoio do senador Heinze e os presentes no encontro, solicitaram através do documento itens como: a “Rodovia da Serra”, a extensão da BR-448 (Rodovia do Parque) entre Esteio e o município de Portão; a conclusão da BR-470, trecho de André da Rocha e Barretos/Lagoa Vermelha, a finalização da pavimentação de 15km até Montenegro, uma nova camada asfáltica de Bento a Carlos Barbosa e de Carlos Barbosa a Barão, entre outras necessidades nesta rodovia federal; as RSC-453 (Rota do Sol) entre Garibaldi e Farroupilha e ERS-122, entre São Vendelino e Farroupilha, a ERS-446 entre São Vendelino e Carlos Barbosa, além da Transaçoriana, que liga Capela de Santana, Nova Santa Rita e Portão com a Tabaí-Canoas etc.

As rodovias federais

A proposta de extensão da BR-448 visa a pavimentação de 17km, o que permitiria aos condutores da Serra não ingressar na BR-116, no deslocamento até Porto Alegre. Apesar da disponibilidade de R$ 10 milhões via emenda parlamentar, para execução de Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) – como um todo a previsão é de R$ 29 milhões – neste instante não está entre as prioridades do Planalto.

Conforme já noticiado pela Difusora, o Governo Federal quer concluir importantes obras em andamento, para posterior iniciar novas. Dentre as principais atualmente constam a conclusão da BR-116, a Travessia Urbana em Santa Maria e a Ponte do Guaíba.

PPPs

Diante das importantes necessidades da região, de escassos recursos em níveis Estadual e Federal, veio à tona outra vez a proposta de PPPs (Parcerias Público Privadas) como alternativa para viabilizar intervenções na malha rodoviária da Serra.

Para o senador Heinze, “se não tem dinheiro para fazer obra, não tem outra saída. Quanto mais forem concessionadas melhor”, afirmou.

O presidente da Famurs, Antônio Cettolin, diz que os prefeitos tem demonstrado que querem boas estradas. “No momento que for um pedágio social, dentro de uma condição financeira razoável, ninguém é contra isso”, comentou.

“A falta de infraestrutura costuma acarretar severos problemas de competitividade para o Estado. Essas obras seriam importantíssimas para agilizar o transporte, com segurança, entre as duas principais regiões produtoras do Estado, a Serra e a Metropolitana”, comenta o presidente do CIC-BG, Elton Paulo Gialdi.

O deputado federal Ronaldo Santini (PTB) esteve na reunião da Amesne pela manhã e a tarde participou do Fórum. Ele trouxe boas notícias, como a aprovação na Câmara Federal da Frente Parlamentar Nacional em defesa da conclusão das obras da BR-470.

“O importante neste momento é demonstrar ao Governo Federal que não só o RS quer, mas o Brasil tem interesse. Foram mais de 200 deputados do Congresso em nosso apoio, pois é uma realidade que há muito tempo a gente defende”, salientou.

As posições do Dnit e Ministério dos Transportes

Em entrevista para a Rádio Difusora, o analista de Infraestrutura da Secretaria Nacional de Transportes Terrestres (SNTT), do Ministério da Infraestrutura, Francisco Francione Soares Junior, reconhece o movimento da região. “A gente consegue alinhar a necessidade da região e otimizar os projetos. Os estudos que foram entregues serão levados para o Ministério e analisados para definirmos um nível de priorização”, disse.

Ele acredita que diante do contingenciamento de recursos, uma PPP seria viável. “É um caminho bastante utilizado e eficiente”, acrescentou.

Já o superintendente do Dnit, engenheiro Delmar Pellegrini Filho, lembrou que o Governo quer concluir os empreendimentos mais adiantados.

“Estamos trabalhando, após a federalização da BR-470, dando os primeiros passos para as melhorias da rodovia. Isto seria com Estudo de Viabilidade Técnica e Ambiental, que está em fase final, que irá apontar as necessidades da rodovia como a duplicação de Bento Gonçalves a Carlos Barbosa, a pavimentação de Barretos a André da Rocha, além de outras melhorias”, afirmou.

O Fórum da Infraestrutura foi promovido pelo CIC-BG, CICS Serra, CIC de Portão e Amesne, com apoio da prefeitura de Bento Gonçalves, da Câmara de Vereadores, Parlamento Regional e Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs).

 

Fonte e fotos: Felipe Machado – Central de Jornalismo da Difusora

Foto capa: José Martim Estefanon