Cães em situação de maus tratos são resgatados pela PATRAM no Conceição, em Bento

A Patrulha Ambiental (PATRAM) do 3º Batalhão Ambiental da Brigada Militar (BABM), realizou na manhã deste domingo, em apoio a denúncia de uma voluntária na causa animal, o resgate de dois cães que estavam em situação de maus tratos, em uma residência localizada no bairro Conceição, em Bento Gonçalves.

No local não foi encontrado responsável, sendo que foi constatado nos fundos da residência dois cães machos, sem raça definida, porte médio, de pelagem amarelada e caramelo, visivelmente em estado precário de alimentação e hidratação, em local sem higienização adequada, sendo necessário a retirada dos animais e encaminhados a um lar temporário para os devidos cuidados.

Diante dos fatos, foi confeccionado Comunicação de Ocorrência Policial, levantamento fotográfico, georreferenciamento do local, além de encaminhados os animais ao lar temporário. Os policiais devem retornar ao local nos próximos dias em busca dos proprietários da residência já que há indícios de que outros animais estejam presos no interior do imóvel.

Falta de apoio do Poder Público

Conforme publicações em redes sociais de voluntários da causa animal o Conselho do Bem-Estar Animal do município teria sido comunicado do fato. Já segundo informações da PATRAM não há apoio do poder público nas causas animais atendidas pela autarquia, principalmente nos finais de semana e feriados prolongados, como neste caso.

Recentemente foi realizada uma audiência pública na Câmara de Vereadores do Município promovida pela Frente Parlamentar em “Defesa da Causa Animal”, criada na casa legislativa e presidida pelo vereador Ari Pelicioli (Cidadania), para debater o Projeto de Lei Complementar nº 8/2020, que trata sobre o Código Municipal de Proteção aos Animais.

Na oportunidade houve forte cobrança da Brigada Militar e principalmente do Batalhão Ambiental quanto a falta de apoio, da Prefeitura de Bento Gonçalves com relação aos atendimentos prestados pela PATRAM no resgate de animais em maus tratos ou vítimas de atropelamento, entre outros fatos, o que geralmente é feito após denúncias de ONGs ligadas à causa. O pós ocorrência também foi debatido na audiência, devido ao município não possuir um local para onde poderiam ser encaminhados esses animais após os resgates.

Central de Jornalismo / Unidade Móvel Difusora

(KPJ)