Cachorro é picado por cobra ao tentar defender criança em Cruz Alta

Conhecido como o melhor amigo do homem, o cachorro está presente em grande parte das moradias. Na tarde desta terça-feira, dia 26, essa frase se provou mais uma vez ser real. Isto porque Kiko, um cachorro sem raça definida de aproximadamente 6 anos defendeu uma menina de apenas 10 anos do ataque de uma cobra cruzeira em Cruz Alta.

De acordo com Mara Silveira, moradora da Rua Artur Brum, Bairro Brum II, sua filha estava procurando uma cachorrinha menor dentro do pátio, quando ao sair de casa, se deparou com a serpente no gramado, indo em direção à porta. Ela correu para pedir ajuda e seu cachorro, com instinto protetor, atacou a víbora. Kiko conseguiu morder a cobra e salvar a menina, mas foi picado pela serpente na boca.

Ele rapidamente foi socorrido por uma protetora que aplicou o soro antiofídico conforme orientação de uma médica veterinária via telefone, o que salvou sua vida. Kiko permanece em observação e, de acordo com Mara, já está desinchando e aparenta estar bem.

A proprietária da casa ainda comentou que seguidamente vê as cobras na localidade, uma vez que há muitos terrenos abandonados com grande quantidade de entulho e matagal. Um dos exemplos citados por ela é o terreno da Escola Artur Brum, que estaria com mato alto. Este, somado aos terrenos baldios que compõem a rua, está causando medo nos moradores.

O sargento Marion, do Corpo de Bombeiros de Cruz Alta, afirmou ter poucas chamadas para a corporação solicitando a retirada de cobras na cidade.

Vale ressaltar que ao encontrar uma cobra, o ideal é isolar a área e entrar imediatamente em contato com o Corpo de Bombeiros, que tem equipamento e pessoas treinadas para fazer a retirada da serpente sem oferecer risco a vida dos moradores.

Clique na imagem para ampliar:

 

Central de jornalismo da Difusora, com informações da rádio Cruz Alta