Bento Gonçalves fecha primeiro trimestre com geração de 643 empregos

Em março, município registrou retração de vagas pela primeira vez no ano, mostra boletim do OECON

Ao contrário dos dois primeiros meses do ano, quando Bento Gonçalves registrou saldos positivos de emprego, o município computou em março sua primeira marca negativa de 2022. No terceiro mês do ano, o saldo foi de -83 postos de trabalho. Ainda assim, Bento Gonçalves fechou o primeiro trimestre do ano com saldo positivo de empregos. No período, o município computa no acumulado a geração de 643 postos de trabalho.

Os números fazem parte do novo boletim do Observatório da Economia (OECON), divulgado nesta terça-feira (10) e baseado nos dados do Novo Caged. Conforme o colegiado do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), em todos os segmentos econômicos, com exceção da construção civil (+41), houve retração nas contratações.

O maior tombo foi no setor de serviços, com o fechamento de 78 vagas. O comércio também encerrou março no vermelho: -32. A indústria seguiu a toada e computou saldo de -14. O setor da construção civil foi o único a registrar, de janeiro a março deste ano, saldo positivo de vagas em todos os meses – no aglomerado, são 110.

Para o autor do boletim, o professor Fabiano Larentis, a performance negativa de março encontra razão na sazonalidade de algumas atividades. “Chama a atenção a presença de atividades dentro dos setores com saldos negativos e também positivos, direcionando para uma questão de ordem mais sazonal. Especialmente em serviços, chama a atenção o volume do saldo de serviços de escritório (-169), situação também ocorrida em março de 2021”, destaca o integrante do OECON.

Larentis vê com naturalidade essa disparidade entre as atividades porque elas estão relacionadas a aspectos sazonais. “Verifica-se, mesmo assim, estabilidade no volume de empregos nos primeiros meses de 2022”, considera. No comparativo mensal entre 2020 e 2022, o mês de março deste ano (47,8 mil) fechou com 1,65 mil empregos a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado (46,1 mil). Ao observar a evolução do emprego formal de 2013 a 2022, o estudo aponta um crescimento neste ano de 1,4% em relação a 2021.

Nesse sentido, duas situações se sobressaem. Os dados do setor da construção (3.140) se aproximam do maior valor da série, de 2014 (3.148). Já os serviços, mesmo com a retração de março, alcançaram a melhor performance da série (18.456). A série de dados compila informações desde 2013.

No estudo completo, que pode ser acessado no anexo, são apresentados os dados de emprego no Estado e no país e a evolução no número de MEIs em Bento Gonçalves, além de outras informações.

Fonte: Exata Comunicação

Foto: Freepik / Ilustração