Audiência Pública da Assembleia aponta para o fim do uso e a proibição da comercialização do 2.4 D

Após quase quatro horas de debates, deputados que participaram da audiência pública que tratou dos problemas causados com a aplicação indevida da Herbicida 2.4-D no Estado resolveram apontar para o fim do uso e da comercialização do defensivo agrícola no RS. O encontro, proposto pelos deputados Edegar Pretto (PT) e Luiz Marenco (PDT), reuniu, nesta quarta-feira (8), integrantes das Comissões de Agricultura e de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia, e o deputado Federal Afonso Hann (PP/RS). Agrônomos, professores e produtores agrícolas envolvidos com o problema lotaram a sala João Neves da Fontoura do Palácio Farroupilha, local do evento.

Além da interrupção do uso e venda do 2.4 D, os parlamentares vão formalizar sua intenção ao Ministério Público Estadual, que, no ano passado, instigado por fruticultores de várias regiões do RS, abriu inquérito civil para apurar os prejuízos causados pela aplicação do pesticida.

Os deputados vão, ainda, enviar ao governo do Estado a ata da reunião, os estudos técnicos apresentados durante o evento e, por último, solicitar à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia a aceleração a discussão sobre o PL 214 2019, de autoria do deputado Edegar Pretto, que dispõe sobre a proibição da comercialização e uso do agrotóxico 2,4-Diclorofenoxiacético (2,4-D).

O 2,4-D é um herbicida utilizado para controlar ervas daninhas no cultivo da soja. No fim de 2018, seu uso inadequado fez com que houvesse deriva do produto para outras áreas de cultivo, causando prejuízo em dezenas de propriedades em diversos municípios gaúchos.

Um dos últimos laudos técnicos elaborados pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, entregue para o Ministério Público (MP), analisou 53 amostras em solo gaúcho em 18 cidades, sendo 52 com resultados positivos e 47 propriedades atingidas com resíduos do agrotóxico. Dentre elas, constam: as culturas das uva, oliveiras e de maçãs.

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora com informações da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul

Foto: Guerreiro