Aprovado em primeira votação, projeto que torna o Talian, segunda língua oficial de Bento

Câmara

O Legislativo de Bento Gonçalves realizou sessão ordinária na noite desta segunda, 30. Haviam oito projetos na pauta de discussões, sendo três oriundos da Administração Municipal. Todos foram aprovados. Destaque para a matéria que pretende tornar o Talian, a segunda língua oficial do município. O próprio Executivo justifica que o idioma foi formado entre o fim do século XIX e o início do século XX, pela fusão de diversos dialetos falados pelos imigrantes italianos que chegaram à Serra Gaúcha. A língua ainda mistura palavras do português e do indígena.

Até hoje, o Talian está presente no cotidiano de muitos moradores de Bento Gonçalves e da região. Foi a primeira língua a receber do Governo Federal o certificado de reconhecimento como “Língua de referência nacional e patrimônio cultural e imaterial do Brasil”.

A aprovação da medida deve permitir que o idioma seja ensinado nas escolas e que serviços públicos prestados à população tanto em português quanto em Talian. A segunda língua também será preservada por meio da criação de acervos e bancos de dados por parte da Prefeitura.

Outro projeto aprovado, de autoria da vereadora Neilene Lunelli (PT), cria o projeto “Varal Solidário”. A ideia é levar parte das roupas arrecadas na Campanha do Agasalho para bairros carentes do município, onde ficariam “expostas em varais para que os moradores pudessem escolher as peças que melhor convêm às suas necessidades”. A ação, que ficaria a cargo do Gabinete da Primeira Dama e da Secretaria Municipal de Habitação e Assistência Social, ocorreria em dois períodos do ano: antes do inverno e ao final da primavera.

Os vereadores também aprovaram a matéria que pedia abertura de um crédito especial de R$ 70 mil a contrapartida de contrato de prestação de serviços financeiros o município e a Caixa Econômica Federal.

O Legislativo ainda aprovou a contratação temporária e emergencial de um técnico de segurança do trabalho pelo Executivo. O vínculo funcional do profissional terá o prazo de dez meses, renováveis por igual período, se necessário. A Prefeitura justificou o pedindo, lembrando que o único servidor efetivo na função está de licença.

Durante a sessão, o secretário Geral de Governo, Jovino Nolasco de Souza, ocupou a tribuna para explicar sobre o andamento de diversas obras municipais.

FONTE e FOTO: Assessoria de Comunicação da Câmara de Vereadores