Ambulatório Pós-Covid: em dois meses mais de 550 atendimentos foram realizados no espaço

Ao longo da pandemia de Covid-19, a Secretaria da Saúde tem trabalhado forte em ações de combate ao coronavírus e também na recuperação de pacientes acometidos pelo vírus. Pensando em ampliar o leque de atendimentos, em novembro do último ano o Espaço do Idoso, localizado na Rua Giovani Girardi, no Bairro Progresso, foi transformado num espaço de tratamento Pós-Covid, ampliando o atendimento das pessoas recuperadas da Covid-19, mas que necessitam de trabalho de fisioterapia, orientação nutricional e de atendimento psicológico.

Em dois meses já foram realizados 552 atendimentos e procedimentos, em pacientes das mais variadas faixas etárias, e que têm sido acompanhados por profissionais de diversas áreas da saúde: enfermeiros, médicos, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas e otorrinolaringologistas. Os atendimentos médicos no tratamento às pessoas em processo de recuperação das sequelas do coronavírus já vinha sendo realizado na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Botafogo (UPA 24h).

Outro ponto de destaque é que desde o final da última semana a fonoaudióloga, Diana Bartz, iniciou o atendimento aos pacientes no local. Ela comentou sobre a importância do trabalho. “Com relação a contribuição da Fonoaudiologia nos pacientes pós-Covid19, o trabalho terapêutico é voltado principalmente na deglutição dos alimentos e na voz. As sequelas ocasionadas pela fraqueza muscular, o tempo de intubação e a traqueostomia interferem na forma como sentimos e engolimos os alimentos além de interferir na qualidade vocal. O Fonoaudiólogo utilizando estratégias terapêuticas para o retorno gradual e com segurança”, explica.

A profissional comentou ainda sobre as primeiras impressões que teve no atendimento aos pacientes do espaço. “Pude observar no início de minha atuação no ambulatório, pessoas com queixas especialmente na hora de engolir líquidos, apresentando desconforto e tosse. Essa dificuldade acaba reduzindo a ingestão de líquidos, causando desidratação e pode contribuir para uma pneumonia aspirativa. A Fonoaudiologia pode ajudar essas pessoas, reduzindo o risco de sequelas e melhorando a qualidade de vida”.

De acordo com a psicóloga Sara Dalfovo Buffon de Moraes, que atua no ambulatório, grande parte dos pacientes que procuram atendimento apresentam queixas de cansaço, perda de força e dispneia. “A síndrome pós-Covid tem várias sequelas, e um dos grandes objetivos do ambulatório é justamente tratar os pacientes com sequelas e que apresentam uma série de sintomas, desde físicos, até os psicológicos”.

Ela explicou ainda que “a Fonoaudióloga surgiu justamente por essa demanda, e percebemos que muitos casos estão cronificados. Muitos pacientes mais graves são crônicos, e precisamos do trabalho da Fonoaudióloga porque tem pacientes que tiveram traqueostomia, que ficaram entubados, e por consequência tiveram alguma lesão na garganta e precisam se reabilitar”.

A secretária da Saúde, Tatiane Misturini Fiorio, destacou a importância do espaço para a recuperação dos pacientes. “Esse espaço é de grande valia e tem feito a diferença na ampliação de nosso atendimento aos pacientes que passaram por traumas e complicações em função da Covid-19. Os nossos profissionais têm realizado um trabalho exemplar para a recuperação dessas pessoas com sequelas da Covid-19. São diversas áreas da saúde juntas para atender a necessidade de cada paciente”.

Como procurar atendimento    

Pessoas acometidas por infecção pós- Covid e com sequelas, podem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS), ou unidade da Estratégia da Saúde da Família (ESF), onde passará por consulta médica, e posteriormente encaminhado para atendimento no ambulatório. Dúvidas podem ser sanadas através do telefone 3055.8518.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura
Foto: Secretaria da Saúde/Divulgação

(RM)