Acusado de matar ex-companheira em Bento é condenado a 20 anos de prisão

Por volta das 19h desta quinta-feira, dia 14, encerrou o júri do caso “Dorisete De Biasi” no Fórum de Bento Gonçalves. O crime aconteceu em 2012, quando a vítima de 41 anos, foi sequestrada no momento em que saía de casa, no Loteamento Cembranel, bairro São Roque. Ela foi morta por asfixia (estrangulamento) e o corpo abandonado em Tamandaré, Garibaldi.

Adriano Adilio do Amaral, ex-companheiro de Dorisete, que na época tinha 32 anos (atualmente com 38 anos), foi condenado a 20 anos de reclusão em regime fechado com base no art. 121, com base em motivo torpe, meio cruel e por impossibilitar a defesa da vítima. Ele foi denunciado pelo Ministério Público e confessou ter pago R$ 2 mil para outros dois homens, para auxílio no sequestro.

Já o comparsa, Sidnei Alves da Silva, 28 anos, teve a condenação de dois anos e seis meses em regime aberto. Ele já possuí outra condenação pela Vara de Execuções Criminais Regional (VEC) em regime fechado.

Dorisete foi casada por três anos com Adriano, que não teria aceitado o final do relacionamento.

O julgamento que iniciou às 9h foi comandado pela juíza de direito, Fernanda Ghiringhelli de Azevedo, com a presença de promotor criminal, defensor público, uma assistente de acusação e um advogado. A imprensa não foi autorizada a registrar em fotos o andamento do júri.

 

 

Fonte: Central de Jornalismo da Difusora