14ª edição do evento “Eles na Passarela” ocorre dia 28 em Bento

Evento está incluído no calendário oficial do Município e tem renda integral revertida à Abraçaí

A próxima edição do Eles na Passarela já tem data marcada para acontecer. O jantar beneficente será realizado no dia 28, no Centro Empresarial do CIC Bento Gonçalves. O Evento, promovido há 14 anos pela Associação Bento-gonçalvense de Convivência e Apoio à Infância e Juventude (Abraçaí), tem como objetivo principal angariar fundos para auxiliar no custeio da Entidade.

Este ano, o Eles na Passarela vai reunir em seu time de modelos membros da diretoria do CIC, que ainda não tinham participado do desfile, além de outros convidados empenhado em apoiar a causa da Entidade. Os ingressos podem ser adquiridos na sede da entidade, Lojas Cadoro, Identidade Homem e ainda com os modelos valor de R$ 160,00, com jantar e bebida inclusa. A renda é totalmente revertida para a Abraçaí,

A Abraçaí é uma entidade privada e sem fins lucrativos, que atende diariamente, no contra turno escolar, cerca de 250 crianças, adolescentes e jovens de 05 à 17 anos. Além disso, há uma lista de espera com mais de 200 crianças, adolescentes e jovens, que aguardam a disponibilidade de vagas. Para inserir os beneficiários na Abraçaí, é necessário que o candidato atenda a alguns critérios como possuir a faixa etária atendida, estar em situação de vulnerabilidade social e estar matriculado em alguma escola parceira.

De acordo com a coordenadora executiva, Daiana França de Oliveira, quanto maior as situações de vulnerabilidade social, sendo que estas encontram-se elencadas abaixo, maior a possibilidade de ser inserido, visto que estas possuem pontuação mais elevadas em relação as demais situações e realidades sociais. Quando há a abertura de uma vaga, é realizada uma entrevista com a família interessada e observado os critérios a cima.

Situações de vulnerabilidade social consideradas, durante a entrevista:
· Ciclo de vida (faixa etária);
· Fragilização dos vínculos familiares e sociais;
· Violência (física, psicológica, oral, intrafamiliar e outras),
· Falta de acesso a serviços, bens e recursos;
· Renda per capita;
· Despesas com moradia (alugada, financiada e outras situações)
· Maus-tratos;
· Exclusão social, crianças e adolescentes sem acesso a recursos,
· Uso de substancias psicoativas (álcool e outras drogas),
· Isolamento social;
· Direitos violados, cujos vínculos familiares e comunitários, foram ou não rompidos;
· Inserção precária no mercado de trabalho formal e informal;
· Integrante na família em situação de reclusão ou Medida Sócio Educativa (fechado);
· Beneficiários do Programa Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada;
-. E outros;

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Abraçaí

Foto: Arquivo Difusora